Google+ Followers

Google Connect

Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 12 de outubro de 2013

Ka Entre Nos: "Eu vi os céus, eu vi os céus (...) Eu vi-a nua. Toda nua!": Alumbramento, de Manuel Bandeira

Ka Entre Nos: "Eu vi os céus, eu vi os céus (...) Eu vi-a nua. Toda nua!": 

Alumbramento, de Manuel Bandeira 



ALUMBRAMENTO

Eu vi os céus! Eu vi os céus!
Oh, essa angélica brancura
Sem tristes pejos e sem véus!

Nem uma nuvem de amargura
Vem a alma desassossegar.
E sinto-a bela… e sinto-a pura…

Eu vi nevar! Eu vi nevar!
Oh, cristalizações da bruma
A amortalhar, a cintilar!

Eu vi o mar! Lírios de espuma
Vinham desabrochar à flor
Da água que o vento desapruma…

Eu vi a estrela do pastor…
Vi a licorne alvinitente!…
Vi… vi o rastro do Senhor!…

E vi a Via-Láctea ardente…
Vi comunhões… capelas… véus…
Súbito… alucinadamente…
Vi carros triunfais… troféus…
Pérolas grandes como a lua…
Eu vi os céus! Eu vi os céus!

- Eu vi-a nua… toda nua!

Clavadel, 1913.


Links relacionados:

http://coisasquedevemossaber.blogspot.com.br/2010/07/alumbramento-by-manuel-bandeira.html

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Inês Nery Musica & Literatura: Um pouco do mundo das Letras!: Análise de “A flor e a fonte” de Vicente de Carvalho!

Inês Nery Musica & Literatura: Um pouco do mundo das Letras!: Análise de “A flor e a fonte” de Vicente de Carvalho

A Flor e a Fonte!

(Vicente de Carvalho)

"Deixa-me, fonte!" Dizia
A flor, tonta de terror.
E a fonte, sonora e fria
Cantava, levando a flor.

"Deixa-me, deixa-me, fonte!
Dizia a flor a chorar:
"Eu fui nascida no monte...
"Não me leves para o mar."

E a fonte, rápida e fria,
Com um sussurro zombador,
Por sobre a areia corria,
Corria levando a flor.

"Ai, balanços do meu galho,
"Balanços do berço meu;
"Ai, claras gotas de orvalho
"Caídas do azul do céu!..."

Chorava a flor, e gemia,
Branca, branca de terror.
E a fonte, sonora e fria,
Rolava, levando a flor.

"Adeus, sombra das ramadas,
"Cantigas do rouxinol;
"Ai, festa das madrugadas,
"Doçuras do por do sol;

"Carícias das brisas leves
"Que abrem rasgões de luar...
"Fonte, fonte, não me leves,
"Não me leves para o mar!"

As correntezas da vida
E os restos do meu amor
Resvalam numa descida
Como a da fonte e da flor
( Vicente de Carvalho )
 

Postagens populares

Ocorreu um erro neste gadget